sábado, 27 de outubro de 2012

5 anos!

Faz hoje precisamente cinco anos que a Colectividade Desportiva iniciou a sua vida na blogoesfera. E fê-lo atendendo a um tema, a profissionalização dos árbitros de futebol, que na altura era um propósito da Liga Portuguesa de Futebol Profissional. O certo é que volvidos estes anos nada se concretizou no âmbito deste propósito, a não ser discussões entre pares, criação de grupos de trabalho, reuniões entre decisores políticos e dirigentes desportivos, mas em concreto goraram-se as espectativas e os objetivos traçados.

Não é, contudo, a análise desta matéria que importa agora focar, mas apenas assinalar os cinco anos de existência de Colectividade Desportiva. Registar tão só, a evolução de algo que partiu da necessidade sentida e partilhada por alguns dos seus fundadores, de escreverem livremente, quando muito bem entendessem, sem amarras, sem imposições, acerca de um tema que os unia: o desporto.

Ao recordarmos estes cinco anos, fomos revisitar textos de 2007 e muitos outros que lhes seguiram ulteriormente. Efetivamente, é com imensa satisfação que damos conta da diversidade de temáticas tratadas, da significativa qualidade de muitos deles e do debate que em muitos foi suscitado pelos comentários de quem nos consulta.

Em suma, da simples necessidade de escrever sobre desporto trilhou-se um caminho recheado de pensamentos livres que deram corpo e alma a uma Colectividade Desportiva que pode hoje ser considerada um espaço criativo, democrático e enriquecedor do viver desportivo coletivo. 

E venham mais cinco...!!

11 comentários:

Inquilina Jardim Amoreira disse...

Parabéns a todos pelo trabalho desenvolvido ao longo destes anos, assim como pela evolução a que se tem assistido.
Continuem com o bom labor, e com a luta para que a frase nunca deixe de ser verdade: "O desporto é o único meio de conservar no homem as qualidades do homem primitivo." (Jean Giradoux)

joão boaventura disse...

Cara Inquilina

Ao dramaturgo Jean Giraudoux contraponho o filósofo Albert Camus:

"Ce que finalement, je sais de plus sûr de la morale et des obligations des hommes, c'est au football que je le dois."

Para apagar os possíveis efeitos da inculcação fraseológica giraudouxiana leia por favor esta conferência, do ex-jogador profissional de futebol e magistrado da Procuradoria Geral de Paris Adolphe Touttfait Touttfait (1907-1990), apresentada na Académie des Sciences Morales et Politiques, em Paris, em 08.11.1971, com o título Les Activités Physiques et Sportives Partie Integrante de l’Éducation.

Leitura que torno extensiva a Nuno Crato, possivelmente também ele, influenciado pelo aforismo de Giraudoux

Luís Leite disse...

Em complemento ao que foi escrito e sem fazer citações, o Desporto do nosso tempo manifesta-se através de 3 abordagens diferentes, que correspondem a 3 patamares diversos:

1) O desporto informal, com as variantes educativa e/ou lúdica;

2) O desporto federado amador ou semi-profissional;

3) O alto rendimento federado profissional.

Entre estes 3 patamares, existem fases de transição que revelam atitudes diferentes no que respeita aos níveis de talento, de esforço e de comprometimento.

É bom que estas questões possam ser discutidas pela Colectividade.

Anónimo disse...

O que é o Desporto, pergunta a Exma «Inquilina Jardim Amoreira 22:21».
E responde: "uma coisa de homens e de primitivos".

josé manuel constantino disse...

A Maria José fez bem em lembrar os cinco anos que passaram. Aos fundadores, com percursos distintos no desporto, animava-os, aproveitando esta nova plataforma de comunicação, o desejo de ajudar à construção de um pensamento critico sobre as políticas desportivas. O intuito era/é o de contribuir à participação e ao debate cívicos em torno dos problemas desportivos. E ao longo de vida deste espaço houve textos que conseguiram atingir esse objetivo. Outros porventura nem tanto. Mas tem valido sobretudo como modo de exercício da ação cívica no espaço público.

Inquilina Jardim Amoreira disse...

Grata pelas respostas ao comentário, assim como pela informação adicionada, gostaria de afirmar que a citação teve apenas e simplesmente um "intuito lato": o desporto pela pureza desse acto, o desporto pela superação do homem através dele próprio, o desporto pela vontade e honestidade. Tudo "primitivo", como é a essência de qualquer coisa.

Bom desporto para todos(as)

Anónimo disse...

Os meus parabéns a todos!

Dito isto segue a provocação. Porque é que o Colectividade Desportiva estará a falhar objectivos desportivos e éticos? É o possível ter uma lista de mortos vivos de pessoas que são eleitas por mérito imenssíssimo e para pertencerem ao blogue e depois passam-se anos sem a mínima intervenção sugerindo que o CD é igual ao C(N)D onde os figurantes são eleitas para a vida e de desporto puro e duro népias?
Sendo um ideal qualquer o que é o CD? Que 'líderes de opinião' veiculam nulidades? O CD sobressalta-se com anónimos como eu? Os anos passam e parece que são festejados como de juventude e não de decrepitude acompanhando o resto!? Quando foi a última vez que o CD deu um murro na mesa que ressuou por todo o estádio? Anónimo para não perturbar as mentes

Anónimo disse...

O nome Colectividade Desportiva e a ideia de projecto que deu inicialmente foi conseguir reunir elementos competitivos indiscutíveis para manter uma agenda acesa na quantidade, variedade de intervenções e na pertinência das afirmações o que se defraudou em parte face à crise total e incapacidade de a acompanhar profundamente. Lembra aquele instituto do desporto que com o tempo se percebeu que a valia do presidente e vice-presidentes era uma erda, cada vez que entrava e saía um elemento era um tio, um sobrinho, um afilhado e para acabar não se mexia no fundamental. Afinal a política desportiva era questionável os figurantes miseráveis o que marcou negativamente o tempo do mandante supremo, a secretária do estádio. Isto aconteceu com n trocas de cor identificando a estrutura do que a casa gasta neste canto ibérico. Sai provocação: O CD é igual às outras Marias das secretárias de estádio!!! O CD se lá estivesse fazia o mesmo!!! O CD não é a luz ao fundo do desporto!!!

Anónimo disse...

O potencial do colectividade Desportiva pode ser aumentado com a regra simples dos que estiverem 1 mês sem publicar um poste pagam um jantar a quem publicar contribuindo para que as reuniões do grupo sejam mais interessantes e nelas se possam discutir as linhas de sensibilidade e especialização de cada um e a oportunidade de andar em cima da matéria A ou B. É uma excelente proposta não é?

Fernando Tenreiro disse...

A indicação de níveis de prática desportiva em desporto informal e formal incluindo as actividades amadoras e profissionais corresponde ao desenvolvimento da análise económica do Modelo Europeu de Desporto iniciado por exemplo por Gratton e Taylor. Na minha tese de doutoramento desenvolvo esta matéria identificando os autores económicos que fizeram este caminho e indicando um modelo económico mais desenvolvido. Tendo tirado o doutoramento na Faculdade de Desporto do Porto em 2011 desenvolvi ainda mais esse modelo de três funções de produção que tenho apresentado em conferências internacionais na área da economia do desporto. Assim, digo às pessoas interessadas em conhecer esta matéria e desejarem aprofundá-la que é uma matéria nova e que do ponto de vista científico é um instrumento útil para a compreensão do mercado regulado pelas federações desportivas.

Pedro Barbas disse...

Parabéns a todos os que diariamente colocam neste espaço as suas opiniões sobre os mais variados temas.
Para quem vive num interior marginalizado e abandonado, com poucas oportunidades de formação e de contacto com gente sábia, causando o "desespero" a quem luta diariamente pela causa desportiva, este espaço consegue dar algum alento e sabedoria.
Um obrigado a todos…..