segunda-feira, 19 de novembro de 2007

Mais uma vez

O governo de Santana Lopes chegou a ter pronta uma proposta de resolução do Conselho de Ministros para privatização de uma parcela do Complexo Desportivo do Jamor através da concessão em regime de ajuste directo a favor de um operador privado na área da organização de eventos desportivos. Essa possibilidade foi travada in extremis já o então governo estava em regime de gestão corrente. Na passada semana o jornal desportivo Record, pela enésima vez, avançava com a mesma possibilidade por parte do actual governo. Embora os termos dessa possibilidade não fossem claros , a ser verdade, seria avisado ter presente o ordenamento jurídico do país e não criar expectativas em torno de soluções que ferem o que legalmente está estabelecido quanto á transição da propriedade pública ou da gestão de bens públicos para operadores privados.

1 comentário:

J: Manageiro da Costa disse...

Quem tem visto a infraestrutura do Complexo do Jamor nos últimos anos tem de convir que ela esteve praticamente ao abandono. Uma situação que tipifica o modo como a ausência de políticas sérias de promoção do desporto tem varrido o País. Perante esse abandono que fizeram o Movimento Desportivo e o Comité Olímpico?
Aquele amplo espaço tinha merecido um natural projecto de promoção da prática desportiva de diferentes modalidades, quer de tipo comunitário quer mesmo, eventualmente, de cariz competitivo. Mas não. Ficou tudo entregue ao nada e agora, mais recentemente, ao golfe. Imaginação infértil a rodos e alguns interesses conhecidos que agora apropriam (inpublicamente!)um naco valente do Jamor.
Assim, o desporto é apenas mais paisagem, salpicado aqui e além pelo sonho de umas "medalhitas pagas a peso de ouro"...!