terça-feira, 13 de novembro de 2007

A propósito dos exames dos professores

No passado dia 8 foi aprovado em Conselho de Ministros um Decreto Regulamentar que estabelece o regime da prova de avaliação de conhecimentos e competências dos Professores dos Ensinos Básico e Secundário.
Enquanto se aguarda pela publicação deste diploma, já se sabe que, de futuro, quem pretender ser professor terá de se submeter a esta prova nacional, que incidirá sobre competências transversais às diversas áreas de docência e sobre conhecimentos de ordem científica e técnica próprios de cada disciplina.
Registaram-se já opiniões díspares: por um lado, a Confederação Nacional das Associações de Pais considera que a prova de ingresso na carreira docente vai fazer uma "triagem" nos candidatos a docentes e pôr fim ao "facilitismo" no acesso à profissão. O seu presidente, Albino Almeida, adiantou que “as provas de acesso não deviam existir, mas compreende-se porque a formação inicial dos professores não é a melhor". Por outro lado, os sindicatos do sector da educação repudiam tais provas de ingresso na carreira docente, pois põem em causa a acreditação das Instituições do Ensino Superior e, se o Governo tem dúvidas relativamente a esta acreditação, então terá de pôr em causa os critérios de avaliação dessas instituições.
Este delicado assunto recordou-me uma pesquisa que fiz há dois meses, por motivo que nada tem a ver com a presente questão, relativa à oferta de cursos existentes no domínio do Desporto e Educação Física. O resultado foi o seguinte:
- Desporto e Bem-Estar
- Aptidão Física e Saúde
- Ciências do Desporto
- Ciências do Desporto, Variante de Gestão e Lazer
- Condição Física e Saúde no Desporto
- Desporto
- Desporto e Actividade Física
- Desporto e Educação Física
- Desportos e Lazer
- Desporto de Natureza e Turismo Activo
- Desporto de Recreação
- Desporto, Actividade Física e Lazer
- Desporto, variante de Condição Física
- Desporto, variante de Desporto de Natureza e Turismo Activo
- Desporto, variante de Gestão das Organizações Desportivas
- Desporto, variante de Psicologia de Desporto e Exercício
- Desporto, variante de Treino Desportivo
- Educação Física
- Educação Física e Animação Social
- Educação Física e Desporto
- Educação Física e Desporto Escolar
- Educação Física, Saúde e Desporto
- Gestão do Desporto
- Gestão das Organizações Desportivas
- Motricidade Humana
- Treino Desportivo

Claro que seria fastidioso indicar neste espaço todas as instituições que ministram estes cursos e as diferentes vagas de que dispõem. No entanto, como calculam, muitos destes cursos existem em várias instituições repartidas por faculdades, institutos superiores, institutos politécnicos e escolas superiores.
Quem permitiu tal pulverização ao nível da formação de professores? Quem criou expectativas de futuro e ofereceu o desemprego em troca? Será que a aprovação de tal diversidade de cursos teve, na base, a avaliação criteriosa dos respectivos programas e da formação efectuada?
Muitas outras questões se poderiam colocar neste âmbito, mas também em relação aos ditos exames, e em relação aos prémios nacionais atribuídos a professores, contudo o texto já vai longo e salta-me outro pensamento: eu, que já me submeti a diferenciados tipos de avaliação, inclusive aos de uma ordem profissional, já vi mais distante e com piores olhos uma Ordem para a classe dos Professores.

6 comentários:

Anónimo disse...

O que a colega acabou de demonstrar foi que o nosso campo se transformou numa feira da ladra, onde há de tudo a vender: novo, velho,inócuo e assim assim.

Rui Baptista disse...

Durante anos, bati-me, qual D.Quixote, pela criação de uma Ordem dos Professores. Vivíamos uma época em que as ordens profissionais prestigiavam os seus associados garantindo à sociedade uma prestação de serviços altamente qualificada. Hoje massificaram-se e, com isso, o seu prestígio decresceu. Na altura em que foi criada a Ordem dos Emfermeiros foi constituída, na grande maioria, ou quase totalidade, por diplomados com cursos médios. Para além disso, havendo, simultaneamente, a Ordem dos Médicos não terá sido uma maneira do Estado se aliar com os enfermeiros contra os médicos e vice-versa? Outra dúvida: já está bem definido o que se ente por acto de enfermagem? Um médico, por exemplo, que ministre uma injecção a um doente não poderá incorrer em exercício ilegal de profissão? Continuo a defender uma Ordem dos Professores, "malgré tout".

Anónimo disse...

Olá,

Será que me podiam explicar porque é que a associação dos professores de educação física não defende os interesses que a Maria José acabou de enunciar?
Não era suposto que isso acontecesse?

andré

Anónimo disse...

Eu explico ao anónimo André.
É porque a associação dos professores de educação física só podem defender os interesses da Educação Física".

E os outros? que ainda não têm associação? quem defende os interesses deles?
Sabe perfeitamente quais são:

Desporto e Bem-Estar
Aptidão Física e Saúde
Ciências do Desporto
Variante de Gestão e Lazer
Condição Física e Saúde no Desporto
Desporto
Desporto e Actividade Física
Desporto e Educação Física (misto)
Desportos e Lazer
Desporto de Natureza e Turismo Activo e Inactivo
Desporto de Recreação
Desporto, Actividade Física e Lazer
Desporto, variante de Condição Física
Desporto, variante de Desporto de Natureza e Turismo Activo
Desporto, variante de Gestão das Organizações Desportivas
Desporto, variante de Psicologia de Desporto e Exercício
Desporto, variante de Treino Desportivo

Dividir para reinar. Multiplicar para confundir e justificar.
Tudo isto é triste.
Tudo isto é fado.
Tudo isto é Portugal.

Anónimo disse...

Cara colega
Acabei agora de ler no blog de Desporto e Direito um comentário que revela ter nascido uma nova variante no nosso luminoso mundo: a Corporeidade, lá para as bandas do Brasil.
Falta juntar essa à lista, qualquer dia.

Branco disse...

Agora que a ASAE está na moda seria bom que as Instituições que leccionam esses cursos em Portugal fossem visitadas por uma espécie de ASAE.
Que houvesse a coragem de fechar as que lançam para o mercado de trabalho fornadas de autenticas contrafacções de profissionais de desporto. Que houvesse a coragem de responsabilizar quem vende diplomas deste tipo, bem como quem os legalizou e também os que continuam a permitir este escândalo.

E que não se escondam com o rabo de fora quem (se) "vende" as suas qualificações nessas instituições....